Mercado FinanceiroNotícias

Procon: Preço do frango tem maior variação de preço em Cuiabá

O Procon Estadual realizou nos dias 25 e 26 deste mês pesquisa de preços de produtos alimentícios em estabelecimentos comerciais de Cuiabá. O objetivo da pesquisa, realizada por amostragem, foi monitorar os preços do arroz, feijão, óleo de soja, carne e frango, e comparar os valores cobrados por esses alimentos em diferentes supermercados e açougues da capital.

Dentre os alimentos pesquisados, o quilo do frango inteiro congelado apresentou a maior variação, chegando a 220,5% entre o estabelecimento mais caro e o mais barato, com variação de preço de R$4,49 a R$ 14,39. Com relação à marca específica, o produto com maior diferenciação de preço nos estabelecimentos pesquisados é o óleo de soja ‘Liza’, encontrado com variação de 75,1%, podendo ser adquirido por valores entre R$ 2,85 e R$ 4,99.

O feijão preto foi o produto que apresentou menor variação de preço, com diferença de 41,6%. Para o arroz, foi constatada diferença de até 75,3%. O feijão carioca apresentou variação de até 128,3%. O óleo de soja teve variação de 93,4% e os diferentes cortes de carne bovina diferença de até 208,5%.

No total, foram visitados dez estabelecimentos, sendo dois açougues e oito supermercados. Durante a fiscalização, foram coletadas informações sobre 22 variedades de arroz, apresentadas em pacotes de 5kg; onze marcas de feijão carioca e cinco de feijão preto, em embalagem de 1kg; quatro de óleo de soja, comercializadas em embalagens PET de 900ml; e nove marcas de frango inteiro congelado. Também foram verificados os valores de comercialização de oito cortes de carne bovina, ofertadas sem congelamento, com fracionamento a pedido do consumidor em açougue.

O gerente de Fiscalização, Controle e Monitoramento de Mercado, Ivo Vinícius Firmo, explica que o levantamento aponta os índices de variação de preços, possibilitando ao consumidor uma economia na hora de realizar as compras. “Essa pesquisa reflete apenas uma pequena amostra dos estabelecimentos em Cuiabá, mas reforça a máxima de que pesquisar vale a pena”.

 

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar