GeralNotícias

Primeiro Freno de Europa faz história e seleciona campeões na Itália

Evento na Fieracavalli, na Itália, contou também com a criação de uma rede para apoiar iniciativas de desenvolvimento do Cavalo Crioulo no continente

A primeira edição do Freno de Europa deu seus passos oficiais neste sábado, 9 de novembro, na pista da Fieracavalli, maior feira equestre da Europa, na cidade de Verona, Itália. Lá, 15 conjuntos, sendo oito machos e sete fêmeas, participaram da prova derivada da tradicional ferramenta de seleção da raça no Brasil, apresentando assim os primeiros campeões do velho continente.

As tradicionais premiações para os quatro primeiros lugares de cada divisão foram entregues pela Associazione Nazionale Allevatori Cavallo Criollo (ANACC), organizadora do evento. Na categoria Fêmeas, vitória de Jalapeña de Baviera, égua nascida na Alemanha e que vem se destacando como vencedora do concurso morfológico da raça Crioula na Fiera por dois anos consecutivos, conduzida pelo ginete Enrico Pavese, da Traditional Ranch, localizada em Asti, Itália. Aliás, destaque tanto para o ginete italiano quanto para os animais com o afixo Baviera, criatório alemão localizado em Schöllnach, que garantiram presença nas três primeiras colocações. Pavese inclusive esteve pela primeira vez no Brasil durante este ano, quando passou aproximadamente um mês treinando com o ginete Guto Freire junto de Daniel Bosio, outro competidor italiano que ficou com o quarto lugar na disputa deste sábado.

A representação feminina também figurou no topo do pódio, levantando o primeiro Ouro da prova na categoria Machos. Conduzindo o cavalo Patrón Chico Engarrotao, a ginete francesa Aurore Descombes, integrante da Association Française des Eleveurs de Chevaux Criollos (AFECC) e criadora da raça Crioula na região da Normandia, ainda finalizou a disputa atingindo a maior nota entre todos os competidores: 18,342.

Primeiro Freno de Europa faz história e seleciona campeões na Itália 2

Para avaliar a estreia dos europeus, uma dupla que conhece muito bem o Freio de Ouro. O presidente da ABCCC, Francisco Fleck, e o superintendente de Registro Genealógico, Frederico Araújo, foram os jurados responsáveis pela seleção. Importante lembrar ainda que a prova contou com algumas modificações em relação aos moldes oficiais da modalidade no Brasil, incluindo somente quatro etapas: Morfologia, Andadura e Mansedumbre, Figura e Esbarradas.

Presenças de peso vindas de Brasil e Uruguai para acompanhar essa história de expansão do Freio. Os ginetes Guto Freire e Juan Pablo Gonzalez viajaram até a Itália, onde fizeram demonstração da prova, ao público e competidores, tanto na quinta-feira, dia 7 de novembro, quanto neste sábado, antes do início da disputa. Exemplo e incentivo que dimensionam a importância da realização do Freno dentro da programação da feira. “É o que nós queremos, que a raça cresça e que sejam produzidos bons cavalos aqui. Esse contato também serviu para mostrar cavalos e éguas de grande qualidade exatamente para que os europeus possam ver o cavalo que nós temos hoje no Brasil, que é sem dúvida um dos melhores cavalos de sela do mundo”, comentou Fleck.

Já o Concurso Morfológico Europeu da Raça Crioula, que chegou a sua oitava edição, mais uma vez apresentou as características de conformação da raça ao público da Fieracavalli. E desta vez a responsabilidade de selecionar os melhores foi dividida por uma dupla de jurados sul-americanos: Francisco Kessler Fleck, presidente da ABCCC, e Alma Elorza, criadora da raça no Uruguai.  Entre os 28 animais presentes, as premiações principais foram entregues ao cavalo Mulato de Chamame como Grande Campeão, propriedade da Criollos de Baviera, Alemanha, e à fêmea Jalapeña de Baviera, Grande Campeã e Melhor Exemplar, nascida na Europa e Melhor Animal sem distinção de sexo.

Em outro momento determinante para o fomento e futuro do Cavalo Crioulo no território europeu, se formou a Criollo Breeders Network, reunião que juntou os países integrantes da Federação Internacional de Criadores de Cavalos Crioulos (FICCC) pela primeira vez na Europa. Nela, os representantes da associações de países sul-americanos e europeus discutiram iniciativas para estimular, facilitar e fortalecer o desenvolvimento da criação da raça Crioula no continente. Novas ações que devem somar e acelerar os bons resultados já obtidos. “2019 marca uma ano muito importante para a raça de cavalos Crioulos em toda a Europa e ao redor do mundo. Com o oitavo concurso morfológico europeu e a primeira edição do Freno de Europa nós iremos impulsionar, aqui no velho continente, o interesse por esta raça maravilhosa”, avalia Giuseppe Bonacina, presidente da ANACC.

Confira o resultado

FÊMEAS

1º lugar: Jalapeña de Baviera. Nota: 17,217
2º lugar: Josefina de Baviera. Nota: 17,200
3º lugar: Jacinta de Baviera. Nota: 17,133
4º lugar: Cardinal Beauty. Nota: 14,683

MACHOS

1º lugar: Patrón Chico Engarrotao. Nota: 18,342
2º lugar: Sin Frontera Chiripá. Nota: 16,267
3º lugar: Fogo de Chão do Capão Redondo. Nota: 16,050
4º lugar: Loco de Bueno Mapocho. Nota: 16,008

Por AGRONEWS BRASIL e Francine Neuschrank/ABCCC

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar