Opinião

Opinião: “Políticos e empresários cegos”, sobre a ZPE de Cáceres

Como é difícil aparecer políticos com novos conceitos, novas ideias, parece que todos saíram da mesma escola, sem visão do futuro, são míopes, não conseguem enxergar alem da ponta dos dedos.

Após 29 anos de criação pelo Sarney, a ZPE de Cáceres, não saiu do papel.
Esta criação de ZPE era moda na época, criavam para desenvolver determinadas regiões onde existia muita pobreza. Uma imitação da Zona Franca de Manaus, que foi criada quando não existia China e nem países asiáticos agindo no mercado internacional, criou-se para suprir o mercado interno e desenvolver uma das regiões mais remotas do país, segundo lema militar, ocupar para não entregar, isto não significa que vai dar certo em Cáceres.

A ótica atual é outra, é procurar mercado consumidor com logística, que não é o caso de Cáceres.

Fabricar o que em Cáceres? Se nossa vocação é o agro, só podemos fabricar algo derivado dele, mandar para onde com esta péssima logística?

A soja da região de Sapezal e Campo Novo já sai via Porto Velho e Itacoatiara no Amazonas, boa logística para a região, agora trazer soja para Cáceres industrializar e mandar para a China ou Europa é pagar mais caro e maior é o investimento, com menos resultado.

Todos novos governadores recebem reivindicações para construir o que vai dar errado.

Hoje está acontecendo o mesmo com o Mauro, porém com uma diferença, ele mandou juntar um grupo de empresários investidores para viabilizar a ZPE. A dedicação do secretário em viabilizar esta ZPE, pode até ser valida, agora duvido que o governo vai investir R$ 60 milhões em local duvidoso, a não ser para atender políticos, e que no final será um abandono só.

Se conseguirem parabéns, mas o meu pessimismos quanto a isto é muito grande, inviável, montar uma industria em um local sem logística e sem consumidores num raio de 1.000 quilometros, só para agradar políticos ?

Construir industria para exportar pelos estreitos canais do rio Paraguai, de barcaça até o Uruguai, depois fazer o transbordo para navios maiores fica inviável e nem tratado de portos temos com o Uruguai.

Santo Deus, que falta de visão, isto não é logística, isto é problema, barcaças pequenas, sem apoio logístico. E as barcaças teriam que ser alugadas de empresas paraguaias, pois eles tem a maior frota de barcaça da America do Sul.

Mato Grosso do Sul que tem melhor logística que a nossa não se propôs a fazer em Porto Murtinho, onde já iniciou a produção de soja na região.

Senhor governador Mauro e empresários, enterrem de vez está ZPE, mudem o foco para outra cidade com logística, próximas do mercado brasileiro, que são as cidades de Barra do Garça e Alto Garça, elas estão próximas de grande parte dos consumidores brasileiros, lá tem até a estrada de ferro para transporte até o porto de Santos.

Incentive as empresas que quiserem se instalar nesta região, não cometendo os mesmos erros dos incentivos anteriores, cobre ICMS para o consumo dentro do Estado, e menor para outros Estados , e use a Lei Kandir para exportação.

Cortem os subsídios dados se não cumprirem o acordado, com tanta rapidez quanto é concedido.

Já está em estudo a instalação da fábrica de celulose nesta região, mais um motivo para incentivar a industrialização da região.

Se MS conseguiu com Três Lagoas, nós aqui também conseguiremos.

Mato Grosso é grande e tem potencial para se industrializar na região certa, um exemplo, poderia montar uma das maiores indústria de processamento e finalização de couro bovino para o consumo interno e exportação, quem sabe, viria junto a industria calçadista.

Acreditem no Mato Grosso, assim ele dá certo, como já deu o Agro.

Antoine Saad

Por: Antoine Saad – Empresário

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar