Notícias

China acaba de testar sua ‘opção nuclear’ na guerra comercial com EUA

A China realizou um teste em pequena escala de “opção nuclear” em sua guerra comercial com os EUA ao vender 20 bilhões de dólares da dívida do governo dos EUA.

Se a China vendesse seus US $ 1,2 trilhão em títulos do Tesouro dos EUA, isso poderia elevar os custos dos empréstimos norte-americanos, enfraquecer o dólar e mergulhar os mercados globais no caos.

No entanto, esse fogo comercial fortaleceria o yuan, tornando as exportações chinesas menos atraentes e poderia desestabilizar a moeda.

“Opção nuclear” chinesa

Mas mesmo assim, a China já realizou um teste em pequena escala desta “opção nuclear” em sua guerra comercial com os EUA. O país asiático vendeu US $ 20 bilhões em tesouros dos EUA em março, possivelmente prenunciando uma descarga total de títulos do governo americano que iria mergulhar os mercados globais em um verdadeiro caos.

A China é o maior detentor estrangeiro de dívida do governo dos EUA, com mais de US $ 1,2 trilhão em Tesouro ou cerca de 7% de todo o mercado. A mais recente venda representa sua maior alienação em mais de dois anos, segundo o Financial Times. Enquanto a segunda maior economia do mundo ocasionalmente vende US Treasurys para reabastecer suas reservas ou sustentar sua moeda, o Yuan, essas não parecem ser as razões para o último dumping.

A ideia de uma “opção nuclear” vem ganhando força. “Muitos acadêmicos chineses estão discutindo a possibilidade de lançar títulos do Tesouro dos EUA e como fazê-lo especificamente“, disse neste mês Hu Xijin, editor-chefe do tabloide chinês Global Times.

Uma venda por atacado de títulos do Tesouro dos EUA pela China enfraqueceria o dólar americano e aumentaria os custos dos empréstimos americanos, causando uma interrupção significativa em sua economia. O UBS previu recentemente que uma venda elevaria o rendimento de 10 anos dos Treasurys dos EUA em 30 a 40 pontos-base, elevando-o a 2,754% com base no rendimento atual.

No entanto, os rendimentos também poderiam cair se os investidores comprassem títulos do Tesouro dos EUA em antecipação ao Federal Reserve reagir a um pior cenário econômico global e adiar as altas de juros, argumentou Joe Weisenthal, editor executivo da Bloomberg para notícias diárias, em um boletim recente.

Expectativas sobre a guerra comercial

É altamente improvável que a China abra o gatilho. Existem poucos outros mercados que poderiam absorver suas enormes reservas e oferecer um retorno tão atrativo quanto os Treasuries dos EUA.

Como grande participante no comércio global, a China também precisa de reservas em dólar para seus negócios internacionais. A venda de títulos do Tesouro dos EUA também poderia fortalecer o Yuan, tornando as exportações chinesas mais caras e mais difíceis de vender, e potencialmente desestabilizar a moeda.

A venda ocorreu pouco antes de o governo Trump acusar autoridades chinesas de sabotar um possível acordo comercial e elevar as tarifas para 25%, ante US $ 200 bilhões em importações chinesas. Os EUA também estão se preparando para expandir as tarifas para outros US $ 300 bilhões em produtos chineses, e colocaram na lista negra a gigante de telecomunicações chinesa Huawei. A China retaliou com tarifas mais altas sobre US $ 60 bilhões em importações dos EUA a partir de junho.

O presidente Xi Jinping e o vice-primeiro-ministro Liu He, o principal negociador do país, visitaram uma fábrica de ímãs de terras raras no leste da China nesta semana. A viagem altamente divulgada pode ter sinalizado sua disposição de cortar o suprimento de materiais de terras raras da América , que são amplamente utilizados em suas indústrias de manufatura, tecnologia e defesa.

Dadas as consequências potencialmente devastadoras para a economia global e o risco significativo de um tiro pela culatra, é pouco provável que a China aperte o botão nuclear e venda seus títulos do Tesouro dos EUA. A explicação mais provável é que a China está enviando um sinal para Trump de que ele deveria ter cautela nas suas decisões.

Veja outras matérias relacionadas a esta guerra comercial:

Por: Markets Insider, traduzido por AGRONEWS BRASIL.

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar