Curiosidades

O extraordinário cão de guerra, Pastor Belga Malinois

Você vai conhecer as principais características deste excelente cão pastor, que vão além de pastorear ovelhas como muitos acreditam.

Origem

Originário da Região de Flandes, cidade de Malinas, província da Antuérpia, norte da Bélgica, fronteira com a Holanda, o cão pastor de Malinois foi um dos quatros pastores belga reconhecidos e selecionado pelo professor Adolphe Reul, da Escola de Veterinária de Cureghem, 1891, considerado o criador da raça, em virtude das características raciais que o diferenciava em relação aos demais pastores da espécie. Por ser um animal de porte médio, rústico, pelo curto, liso e altamente ágil, inteligente, corajoso e obediente, é considerado o canino mais antigo da Bélgica, que deu origem aos demais pastores e também, o cão mais próximo geneticamente do pastor alemão e do pastor holandês, sendo o primeiro pastor a ser selecionado e registrado oficialmente no país, como raça pura, pelo AKC – American Kennel Club, 1910.

Cinotecnia

O cão Pastor Belga Malinois é inconfundível de ser reconhecido entre os cães de sua categoria. Sua característica principal é a cor da pelagem castanho avermelhada ou amarelada com máscara preta na cabeça, orelhas e tórax escurecidos ou tisnado de preto.

A raça apresenta dimorfismo sexual pouco acentuado com os seguintes registros zootécnicos, aceitos pelo AKC.

Comprimento:Curto.
Altura:60 a 66 cm (Machos). 55 a 66 cm (Fêmeas).
Peso:24 a 34 kg (Machos). 18 a 27 kg (Fêmeas).
Cor da pelagem:Avermelhada ou amarelada com a cabeça, focinho, peito e orelhas pretas.
Orelhas:Médias e eretas, naturalmente.
Expectativa de vida:12 a 15 anos.
Nível de Energia:Altamente energético e ativo.
Funcionalidade:Boiadeiro e pastor (Grupo I. Classificação Federação Cinológica Internacional – FCI).

Características da raça

Conhecido como Ferrari dos cães, o Malinois é destacado pelo porte imponente, elegância, robustez e resistência à variações climáticas. Lealdade e muita devoção ao criador são outras duas qualidades que possui, além de ser afetuoso, gentil e fiel ao seu dono. Apesar de contar com um temperamento amigável, seguro e estável, age com energia quando é necessário defender o dono ou a propriedade, mostrando-se desconfiado com estranhos. É um cão instintivamente protetor, sem que seja impulsivamente agressivo, portanto equilibrado. O drive de seu temperamento é alto (high), porém é obediente e paciente, tendo um comportamento previsível. Reúne, desta forma, as características necessárias para uma escolha inteligente, garantindo, assim, uma convivência feliz, recompensadora e harmoniosa com seus proprietários.

O extraordinário cão de guerra, Pastor Belga Malinois 1

Emprego em operações estratégicas

Graças a sua habilidade de aprender e executar comandos, e suas virtudes natas de inteligência, coragem, vigilância, agilidade e farejamento, entre outros requisitos exigidos para um cão de guerra ou combate, o Malinois tem sido a raça favorita para emprego em operações estratégicas e especiais pelos Exércitos e Forças Policiais Especiais de vários países do mundo, em missões especiais e seletivas a saber:

Polícias Federais – Utilizado pelas principais polícias federais do mundo: Scotland Yard, KGB, SWAT, FBI, BOPE etc, em missões especiais, na segurança de aquartelamentos, busca de drogas, armamentos e explosivos, tem sido auxiliar poderoso no sucesso dessas operações especiais em portos, aeroportos, edifícios e combates urbanos na localização de depósitos clandestinos de drogas, localização de esconderijos e prisão de traficantes. Graças à sua capacidade inigualável de farejar e localização de drogas, está registrado no livro de recordes, do Guinness World Records, como o maior farejador de drogas, sua virtude maior.

Defesa Civil, Corpo de Bombeiros – Empregado cada vez mais em todo o mundo em casos de sinistros ambientais: terremotos, tsunamis, furacões, ciclones, deslizamentos de terras, desabamentos de edifícios, etc, onde há soterramentos de pessoas e desaparecidos, o Malinois é um agente de busca imprescindível nessa operações especiais. No Brasil, foi empregado pelo Corpo de Bombeiros, nos últimos desastres ambientais do rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho -MG, onde incansável, usando o farejamento, pode auxiliar os bombeiros na localização das vítimas soterradas.

Exército Brasileiro – No Exército Brasileiro o emprego do Cão de Guerra está oficializado através das Portarias Nº 318-GB, de 12 de outubro de 1967, que aprovou o Manual de Campanha C 42-30 (Adestramento e Emprego de Cães de Guerra), Nº 932, de 24 de junho de 1970, que autorizou seu emprego nas Organizações Militares de Polícia do Exército-PE, no Curso de Operações na Selva e Ações de Comandos-COSAC e na Brigada de Infantaria Paraquedista- Bda Inf Pqd e Portaria Nº 8. do Comando de Operações Terrestres – COTER, de 22 nov de 2013 que aprovou o Caderno de Instrução de Emprego do Cão de Guerra (EB70-CI-11.002), que estabelece as Diretrizes para a utilização e emprego do Cão de Guerra.

Sem nenhuma dúvida que dentre as raças utilizadas pelo Exército: Pastor Alemão, Pastor Belga Malinois, Fila Brasileiro, Labrador, Rottweiller. nas operações militares especializadas, o Belga Malinois tem se destacado principalmente:

  • Busca e Apreensão: Farejamento na busca e localização de drogas: cocaína, maconha, crack e explosivos, munições e armamento;
  • Ataque: Persuasão, perseguição e intimidação do traficante e apoio à tropa nos pontos de bloqueio e inspeção de suspeitos e veículos;
  • Varreduras dos becos, vielas e edificações. Aumento da capacidade operacional da tropa em locais de risco, no vasculhamento, procura e captura;
  • Varreduras em áreas com cobertura vegetal. A serra da Misericórdia, Rio de Janeiro, foi área de atuação do Cão de Guerra, no patrulhamento e descoberta de armamento, munições e drogas;
  • Posto de Bloqueios e Controle das Vias Urbanas. Foram empregados para vistoria e inspeção de transeunte e veículos, auxiliando a tropa e o poder de polícia e investigação;
  • Segurança e Vigilância Militar. Empregado na Segurança de Estabelecimentos Militares onde se exige o máximo de segurança e proteção como Paióis de Munição, Bases Aéreas, Postos de Combustíveis, Bases Navais, etc.

Um dos cães mais versáteis do mundo

De sua origem campesina das regiões montanhosas, frias e úmidas da cidade de Malinas (Mechelen), Bulgária onde existia como cão de pastoreio de ovinos e bovinos e guarda, descoberto e selecionado geneticamente pelo Professor Veterinário, Dr. Adolph Reul, 1891, o pastor belga de Malinois, graças à sua rusticidade, agilidade, coragem, inteligência, e aguçado faro, hoje é o cão favorito para atuar nas Forças Armadas, Polícias Federais, Polícias Militares e Defesa Civil nas operações estratégicas que exigem drive high, envolvendo: Controle de Distúrbios, Guarda de Pontos Sensíveis, Localização de Armamento, Explosivos e Munições, Combate ao Narcotráfico, Localização de Minas e Artefatos Bélicos, Destacamentos Precursores de Reconhecimentos e Resgate em Primeiros Socorros de desabamentos e soterramentos.

Daí, a sua excelente versatilidade e emprego militar.

Fonte: Animal Business

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar