Notícias

Nova modalidade de julgamento ganha espaço em MT

Uma modalidade de julgamento desenvolvida pela Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) vem conquistando cada vez mais os pecuaristas em Mato Grosso

Uma modalidade de julgamento desenvolvida pela Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) vem conquistando cada vez mais os pecuaristas em Mato Grosso. O chamado julgamento a campo, que além de ranquear os animais na Associação dos Criadores de Nelores do Brasil, vem trazendo muitos benefícios da porteira para dentro.

O cenário até parece o de um leilão e as únicas diferenças são que, ao invés de um leiloeiro e pisteiros disputarem os lances, há  um juiz credenciado da ABCZ acompanhando de perto cada detalhe, de acordo com os critérios exigidos pela modalidade. “Com o gado solto, você tem que observar bem, pois muitas vezes eles estão sozinhos e em outras em grupo, onde temos que tomar cuidado, pois é como apartar na fazenda. Nós pontuamos animal por animal”, falou o juíz da ABCZ Célio Arantes Heim.

Apesar da novidade, a modalidade possui uma grande credibilidade dentro do setor. A Associação dos Criadores de Mato Grosso é um exemplo disso, onde a prova já caiu nas graças dos pecuaristas que encontraram nesse tipo de evento duas vantagens: a valorização no rebanho dentro da porteira e economia para o bolso.

“Estamos fomentando uma forma de criar gado que nos traga economia, já que a alimentação pesa bastante no custo final de todo o produto. Sendo assim, é preciso produzir animais com boa eficiência alimentar e rusticidade. Conseguindo isso, os ganhos serão enormes, pois a realidade da pastagem brasileira mostra que precisamos buscar cada vez mais animais rústico para aguentar no campo”, disse o pecuarista Sebastião Chaves.

“Temos vários criadores investindo em genética querendo uma referência do seu trabalho perante ao trabalho dos demais. Esse julgamento vem dizer o quanto o projeto de cada um está  certo ou se precisa melhorar. Neste sentido,  o técnico da ABCZ é a pessoa mais preparada para dizer qual o modelo da carcaça ideal para o campo”, disse o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Duarte Soares.

Agora, o desafio é aprimorar ainda mais o regulamento na modalidade, que foi oficializado recentemente. “Vamos nos acostumar com a modalidade e o regulamento, que já é muito bom, vai sofrer uma evolução. Vamos experimentar, para depois sugerir algumas mudanças”, contou Heim.

Fonte: Canal Rural

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar