Mercado Financeiro

Letti, marca de leite tipo A, dobra produção em seis meses

A demanda surgiu após a empresa produzir o leite exclusivamente com a beta-caseína A2.

Em apenas seis meses, a Letti, marca de leite tipo A da Agrindus, dobrou a produção para 20 mil litros por dia.

A proteína não causa dificuldade de digestão, ao contrário daquele com beta-caseína A1. O investimento foi de R$ 2 milhões, incluindo a seleção genética para que só nasçam fêmeas aptas e a certificação da bebida.

Seleção

Segundo Roberto Jank Jr., diretor da Letti, das 4.200 vacas da empresa, 1.400 foram selecionadas com características genéticas para a produção do leite com a beta-caseína A2.

São selecionadas as que têm o gene que produz a proteína A2 – do rebanho mundial, metade tem A1A2, 25% só A1 e os outros 25% só A2. Como a demanda é grande, principalmente para fórmulas infantis, a Agrindus terá todo rebanho apto em 2021.

Dos 60 mil litros produzidos diariamente, 40 mil ainda têm a beta-caseína A1, à qual 35% da população brasileira acima de 16 anos é intolerante.

No final do ano passado, em entrevista ao portal AGRONEWS BRASIL, Roberto Jank já havia alertado para a necessidade da intensificação da produção de leite de qualidade.

“No longo prazo esse é o grande divisor de águas para passarmos da segunda para a primeira divisão como país produtor de leite. Não somos nós que estamos certos e o resto do mundo errado; é o contrario. Ainda não fomos capazes de barrar leite de baixa qualidade no portão das fabricas e implantar a instrução normativa com efetividade. Sem isso, não haverá evolução. A boa notícia é que, de forma inédita, o lançamento de 3 marcas de leite UHT sem estabilizantes pode significar uma luz no fim do túnel, sinalizando demanda por mais qualidade na matéria prima. Pode ser o inicio de um circulo virtuoso”.

Veja a entrevista completa onde ele faz uma avaliação sobre a “Crise do leite”.

Roberto Jank Jr., um dos maiores produtores de leite do país, avalia a CRISE DO LEITE

Crise do leite

Desde o início de sua história na atividade, em 1945, a Agrindus sempre optou por estratégias de agregação de valor à matéria-prima. Na década de 90, iniciou a produção de leite tipo A e, em 2006, criou sua própria marca: Letti. Hoje, a linha possui uma variedade de produtos com certificação Kosher (selo BDK), comercializados em nichos de mercado diferenciados. (veja a matéria completa).

Por: AGRONEWS BRASIL, com informações do Estadão Conteúdo.

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar