Mercado Financeiro

EUA importaram menos soja da China, compras no Brasil aumentam 126%

As importações chinesas de soja dos Estados Unidos caíram 99 por cento em dezembro para apenas 69.298 toneladas, mostraram dados alfandegários nesta sexta-feira, levando as importações de todo o ano de 2018 para o nível mais baixo desde 2008 em meio à guerra comercial.

Foi o segundo mês consecutivo em que as importações chinesas dos Estados Unidos ficaram praticamente estacionadas em meio à disputa, embora algumas aquisições tenham sido retomadas conforme as negociações seguem em curso entre as duas maiores economias do mundo.

Os embarques norte-americanos em dezembro caíram de 6,19 milhões de toneladas no ano anterior. A China não importou nenhum grão dos EUA em novembro.

Olhando para o ano inteiro, as importações vindas dos EUA foram de 16,6 milhões de toneladas, cerca de metade das 32,9 milhões de toneladas de 2017.

Em contraste, a China comprou 4,39 milhões de toneladas de soja do Brasil em dezembro, um aumento de 126 por cento ante o patamar de 1,94 milhão de toneladas um ano antes, de acordo com os dados da Administração Geral das Alfândegas.

A China geralmente obtém a maior parte de suas importações de oleaginosas no último trimestre do ano dos Estados Unidos, já que a colheita dos EUA chega ao mercado nesta época.

Mas as compras caíram substancialmente depois que Pequim implementou uma tarifa adicional de 25 por cento sobre as importações de soja dos EUA em 6 de julho, como parte da disputa comercial. Para preencher a lacuna, a China intensificou suas importações do Brasil.

Adiantada, colheita de soja do Brasil chega a 13% da área, diz AgRural

O ritmo da colheita da safra 2018/19 de soja continuou acelerado nesta semana, informou a consultoria AgRural nesta sexta-feira, apontando que Brasil já colheu em 13 por cento da área cultivada com o grão, segundo comunicado.

Até a semana anterior, produtores brasileiros tinham colhido 6 por cento da área.

A colheita segue adiantada ante o mesmo período do ano passado, quando o índice era de 4 por cento, e também está à frente da média histórica (3 por cento).

Em Mato Grosso, a colheita atingiu 29 por cento da área, enquanto no Paraná avançou para 18 por cento. Goiás já colheu 14 por cento.

“Além do ritmo forte das colheitadeiras, chama a atenção o impacto negativo das chuvas irregulares e das temperaturas altas de janeiro sobre o desenvolvimento das lavouras de diversos Estados”, disse a AgRural, indicando que “isso deve levar a um novo corte na estimativa de produção, que será revisada pela AgRural na primeira semana de fevereiro”.

No último dia 9, a produção de soja 2018/19 do Brasil já havia sido reduzida pela AgRural em 4,5 milhões de toneladas, para 116,9 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters

Etiquetas
Continuar lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar